Fortaleza do Pendor das Sombras Online

Sessão 05 - O exército de esqueletos

Participantes
Ikki
Tok-tok
Puffus
Curandos

Missão 2
Ikki
Tok-tok
Contratante: Faye da Grande Igreja de Pelor
Descrição:Investigar atividade de um Culto demoníaco na cidade de Abrigo do Inverno

Missão 2a
Puffus Escondus
Curandus Comapoha
Contratante: Selarund Halfmoon
Descrição: Buscar informações da caravana de Paulo Pedrada que partiu para Abrigo do Inverno e ainda não retornou, recompensa se trouxe-lo com segurança.

Quest Principal
Ikki
Tok-tok
Puffus
Curandos
Descrição:Salvar Abrigo do Inverno destruindo o culto maligno na fortaleza do pendor das sombras.

Após derrotar os kobolds da entrada principal os heróis vão na direção leste seguindo o corredor, usando a consagrada táctica bode expiatório(agora adaptada pra lagarto) ikki abre uma porta que da acesso a uma grande sala onde kobolds fazem uma escavação em busca de algo, ao ser notado, ele é perseguido e atrai os kobolds e seus guardian drake pra a emboscada que os aventureiros prepararam na sala de entrada. Uma luta rápida se desenrola e os kobolds são dizimados.

Vasculhando a sala eles encontram um pequeno símbolo de Bahamut que fica com o paladino e mais algumas moedas.

Um buraco na parede da sala dá acesso a um túnel para sul, muito escuro e parece ter sido criado de forma natural. Puffus se aventura por dentro dele, mas o resto da trupe não está com a mesma disposição, argumentando que o culto deve estar em outra direção. Resolvem esperar o gatuno que volta alguns minutos depois relatando que só encontrou alguns animais, mas nada de relevante.

Seguindo a porta ao sul da entrada um forte cheiro de morte pesa no ar e um frio cadavérico apodera-se da sala. A escuridão é total e Ikki torna-se o portador da tocha. Com uma rápida inspeção pelos corredores eles percebem inscrições sinistras pelo chão e o paladino logo identifica como sinais de morte e maldição que eles decidem evitar, por hora. Com mais alguns minutos encontram uma miríade de zumbis que tropega na sua direção. Mas a disciplina militar e anos de treino permitem que os heróis facilmente subjuguem as crias do abismo em uma parede de escudos coesa e mortal.

Mas como a curiosidade matou o gato e quase o halfling, o inquieto Puffus não se controla e movido por um impeto curioso se lança por cima das inscrições e da um leve toque nas runas amaldiçoadas. Um grito estridente ecoa pelos corredores e um pavor gela a alma dos aventureiros. O halfling em terror corre pra longe de ikki e dos outros companheiros, para dentro da escuridão. O medo também afeta o paladino que tenta correr, mas é contido pelo anão que resistiu com seu coração de pedra. A sabedoria da floresta também contem o druida de um súbito ataque de medo.

A corrida desenfreada do halfling o leva para o encontro de mais zumbis em um abraço mortal na escuridão. O druida acompanha os gritos de pavor de puffus e o encontra a tempo de ajuda-lo. O paladino se debate tentando fugir do anão que tenta leva-lo a razão. Uma obscura luta se desenrola o paladino se liberta e corre para a escuridão deixando o anão sem opção a não ser ajudar o druida e o ladino na luta cadavérica.

Após o ultimo pedaço de carne podre tombar o grupo vai em busca do paladino, e o encontra em uma sala ladeada por sarcófagos e um exércitos de esqueletos envolvem o paladino, que agora de volta a si, luta bravamente contra todas as possibilidades imbuído em sua fúria divina.

Aos brados de batalha o grupo se lança contra o exército de mortos vivos abrindo caminho até o paladino, uma avalanche de metal, raio, fogo e flechas. Todo o poderio do grupo é posto a prova e muito sangue é derramado. Ao final o paladino encontrasse curvado sobre um dos joelhos mas ainda vivo e exausto. O anão estende sua mão e o clangor das manoplas ao se erguer ecoa para a eternidade forjando os laços inquebráveis de guerra e sangue de irmãos de armas.

View
Sessão 04

Participantes
Ikki
Tok-tok
Curandus
Puffus

Missão 2

Ikki
Tok-tok
Contratante: Faye da Grande Igreja de Pelor
Descrição:Investigar atividade de um Culto demoníaco na cidade de Abrigo do Inverno

Missão 2a

Puffus Escondus
Curandus Comapoha
Contratante: Selarund Halfmoon
Descrição: Buscar informações da caravana de Paulo Pedrada que partiu para Abrigo do Inverno e ainda não retornou, recompensa se trouxe-lo com segurança.

TL;WL;
1. Depois de gastar o vaucher, Ikki e Tok-tok recebem uma nova missão da da guilda do leão prateado, encomendado pela Clériga Faye da Igreja de Pelor (Missão 2).
2. Viajam para a cidade de Abrigo do Inverno onde são atacados na estrada por um grupo de Kobolds.
3. Enquanto isso Puffus e Curandus recebem outra missão para a mesma cidade (Missão 2a).
4. Os dois grupos se encontram na cidade de Abrigo do Inverno.
5. Após alguma investigação na cidade descobrem que um grupo de kobolds pode estar envolvido com o desaparecimento de Paulo Pedrada(Missão 2a) e com os assaltos na estrada.
6. São levados pela elfa Ninaran para o covil dos kobolds, e chutam a porta do covil.

Ao matar todos os kobolds do Covil e seu Chefe Irontooth os heróis voltam pra cidade.

Ao encontrar com Lorde Pacheco, ele os convida para uma reunião e revela que um terrivel mal espreita a cidade que pode estar relacionado com a existência do culto maligno na área e pede pela ajuda dos heróis.

O Sábio Valthrun revela a história verdadeira sobre a Fortaleza do Pendor das Sombras e Sir Keegan. Na conversa descobrem que Kalarel pode estar tentando abrir a fenda para o plano do Lord Orcus.

Os Herois aceitam a demanda de salvar a cidade da abertura do portal para o plano do lorde Orcus.
Receberam 300 PO adiantado de Lorde Pachedo.

Compraram 2 escudos +1 = -740 PO do Grupo

Escudos com Curandos e Tok-Tok

Os heróis são guiados pela guarda até a entrada da Fortaleza. Aproximam-se com cuidado e observam a entrada por algum tempo. Uma dupla de goblins sai de uma porta na fortaleza. São rapidamente eliminados, e o grupo resolve entrar.

Lá dentro desbravam a primeira sala, onde estavam 4 goblins de guarda e existia um alçapão de armadilha. Nada complicado para nosso grupo

View
Sessão 03

Participantes:

Ikki
Tok-tok

Escaparam do dragão, mas não recuperaram as escamas. O Dragão Branco voou para as montanhas no norte
Retornaram a Escarpa e reencontraram Theodor e ele recompensou com um vaoucher de 30 PO na loja dele como consolação.

Missão 2

Ikki
Tok-tok

Contratante: Faye da Grande Igreja de Pelor

Investigar atividade de um Culto demoníaco na cidade de Abrigo do Inverno

Missão 2a

Puffus Escondus
Curandus Comapoha

Contratante: Selarund Halfmoon

Buscar informações da caravana de Paulo Pedrada que partiu para Abrigo do Inverno e ainda não retornou, recompensa se trouxe-lo com segurança.

View
Sessão 02

Continuando a história dos nossos queridos heróis:

Heron – Pandoramix “Ikki” – Druida meio-elfo
Andrade – Tok-tok – Anão Guerreiro

Na ultima sessão os heróis tinham acabado de vasculhar mais uma sala, mas ainda não tinham nenhum sinal da mercadoria perdida.

Um corredor a frente era o único caminho e sem exitar eles avançam. A próxima sala logo aparece e um teto alto se destaca na sala. No centro um muro de aproximadamente 3 metros e mais atrás desse muro em uma plataforma elevada um kobold protegido por armadura de placas escolta um xamã kobold. Que olha com fúria para a entrada dos guerreiros.

Ao entrar na sala um estrondo ecoa preenchendo e ecoando nas paredes. Um tremor denúncia que um grande problema se anuncia. A direita da sala uma rocha imensa entra furiosamente na sala rolando para o centro, aparentemente se perigo para os heróis.

Raios e ácidos começam a ser trocados pelos conjuradores divinos, o espírito do relâmpago favorece Ikki, que acerta seus raios no xamã, mas não consegue derruba-lo. Tok avança na sala, mas é surpreso por um kobold que acaba de aparecer em cima do muro central da sala. O kobold gira a funda com ferocidade e atira contra o Anão. Para a surpresa de todos o ataque não causa dor mas uma sensação viscosa cobre o corpo do anão, ao se dar conta ele percebe que está grudado ao chão. Então a pedra gira…

A rocha circula pelo centro da sala e agora vem em direção ao grudado anão! Usando de todas as suas forças o anão tenta quebrar a cola, agora enrijecida a sua volta, a tempo de escapar de ser esmagado… mas não consegue… a pedra imensa rola por cima dele… e ele morre…ria! Se fosse um anão comum!

Mesmo com parte do corpo atropelado por uma rocha de 3 metros de altura nosso herói ainda respira! Com a resina que o prendia espatifada ele consegue se mover para fora da sala retomando o fôlego.

Faíscas recobrem o corredor por onde entraram devido a troca de conjurações entre o xamã e o druida.

Uma criatura alada revoa os muros pelo centro da sala e se empoleira fitando os herois. Com um rasante ataca o druida, mas não causa grande estrago, e já se afasta do grupo, mas agora com uma bolsa em uma de suas garras! Sim o dinheiro do druida foi surrupiado pelo ladrão alado!

E o kobold continua a alvejar os aventureiros do alto da murada. Esperando o intervalo certo para desviar da rocha o nosso anão corre. Com todo o ímpeto que resta, e garanto que é bastante! Ele se lança para alcançar o topo da murada onde o kobold os ameaçam. Em pleno salto ele uso o seu martelo encaixando a ponta no topo da murada e com a força do seu braço se impulsiona para cima. Em sua fúria o impulso foi tão devastador que o coloca na mesma altura do kobold surpreso e ainda em vôo da um giro(carpado!) no ar e acerta o peito do kobold que voa de cima da murada

O druida conjura o espírito da natureza e gavinhas crescem do seu totem. Os tentáculos de plantas busca furiosamente o ladino voador. Com um grito de dor o monstro vê suas asas enredadas e é lançado pra frente. Cambaleando sem controle acaba se chocando com a rocha que contornava os muros centrais da sala e acerta o chão violentamente. O anão que já se encontrava no topo do muro, ao ver de cima o monstro alado no chão, não resiste ao impulso de sua fúria voadora e novamente se lança ao ar! Como uma torrente de metal o anão aterrissa com um estrondo no chão e esmaga o réptil voador!

Do outro lado da sala o druida se prepara para subir o muro da mesma forma que o Anão. Invocando as energias ancestrais dos animais o druida se transforma em um símeo negro e com asas de fogo de fênix! Calcula o tempo da passagem do rochedo gigante e dispara em impulso para se projetar acima do mura, mas…. um fatídico é erro de cálculo devido a sua mudança corporal ele se atira de cabeça na parede! O crack da rachadura no crânio ecoa pela sala. Seguido do baque surdo do corpo do macaco caindo de costas no chão. Seguido também pelo chiado característico da queima de pelos e de parte do reto devido ao fogo das asas da fênix. E pra completar quem vem rolando no horizonte?! A rocha atropela o já estatelado druida, mas da mesma forma sua constituição é sobre humana e ele sobrevive a compressão.

Ao aterrissar o anão se encontra na escada que da acesso a segunda plataforma de onde o Xamã Kobold conjura suas maledicências. Continuando na sua investida sagaz ele sobe a escadaria trocando aço um guada kobold que protegia o Xamã. Se recuperando dos contratempos o druida se ergue e resolve então dar a volta no mura central e se posiciona para lançar seus feitiços contra os inimigos. Em uma martelada furiosa o Anão consegue abater o guarda e agora só resta o xamã. Alvejado e enfraquecido pelos relâmpagos do druida não resta muita escolha para o enfurecido kobold. Com uma martelada ascendente o kobold é projetado para fora da plataforma justamente em direção a rocha, na qual ele quicada e quebra algumas costelas. Antes mesmo de alcançar o chão as gavinhas infernais do druida enredam-lhe o corpo e o tensionam para um forte arremesso. Infelizmente a rocha rolante prende seus membros inferiores e parte do abdomem bem na hora do puxão dos tentáculos herbáceos, o que resulta em um semi-tronco voando por cima da rocha.

Encontro resolvido e com algum tempo a rocha para de circular pela sala. Uma vistoria pelo comodo mostra que só esses kobolds estão presentes no recinto. O xamã possui uma chave prateada e uma totem mágico. Com uma análise mais minuciosa uma porta gravada na pedra é encontra em um estreito corredor. Inscrições antigas, gravuras e palavras em dracônico adornam a porta. Uma pequena fresta bem centra a porta se mostra o local perfeito para inserir a chave. Vários cliques de mecanismos são ouvidos após virar a chave e um pequeno movimento na porta indica que ela destravou. Uma escada descendo para a escuridão e um vento gelado subindo na face dos heróis é o que eles tem pela frente. Ao entrar vagarosamente eles percebem que as paredes saem de rocha esculpida para um caverna natural e ao chegar na entrada da caverna um lago congelado aparece.

O frio agora é maior e Ikki percebe algo se esgueirando nas sobras. " Um dragão!!". Ele grita! O que, de forma improvável, surpreende a criatura dando tempo para Tok e Ikki buscarem uma posição privilegiada. Buscando flanquea-lo eles se dividem. O monstro branco ataca o Anão, suas garras cravam fundo na sua carne rígida. Ao se projetar para outra posição Ikki se transforma em um urso polar, visando caminhas sobre a superfície congelada do lago. Mas o frio é de origem mística e mesmo assim ele escorrega e acaba sendo direcionado para outra posição prejudicando sua estratégia. Após alguns ataques contra Tok o dragão se volta pra Ikki e começa a ataca-lo. A luta parece perdi e a morte bate a porta! Uma baforada congelante foi o suficiente para destruir a determinação dos heróis de permanecerem na peleja. Agora tinham que fugir!

Se lembra que a entrada dessa caverna é muito estreita para o dragão passar e é para lá que eles se dirigem a todo vapor. Rajadas congelantes ecoam nas suas costas e na última curva o dragão alcança os heróis e manda uma baforada direta contra eles! O anão congela e ileso atrás dele está o druida! Com o pouco da vitalidade que resta o anão quebra o camada de gelo que o envolve e os dois consegue passar a tempo pela porta adornada e travam a passagem no último segundo antes que o próximo jato congelante petrificasse toda a porta.

Ao retornarem pela passagem da cripta eles ouvem o alto ressoar de asas na superfície. O dragão os aguarda do lado de fora! E agora!?

Aguardem para a próxima sessão!

View
Sessão 01

Participaram da primeira sessão presencial:

Heron – Pandoramix Ikki – Druida meio-elfo
Andrade – Tok-tok – Anão Guerreiro

Como velhos conhecidos da guilda do Leão Prateado os nossos heróis seguem seus afazeres de aventureiros o que nesse momento é tomar uma boa dose de cerveja e aproveitar os espólios da última empreitada. Alguns dias se passam e as peças de ouro vão rareando levando os aventureiros procurarem mais uma vez trazer a justiça e bondade a esse mundo cão( e ganhar alguns POs ao mesmo tempo). Entrando em contato com o seu contato na guilda, o velho Duval chama-os para a Cervejaria Lua Azul. Após a primeira rodada da ótima cerveja de Kemara Garrafarrom, Duval os fala de uma possível empreitada para o mestre armeiro Teldorthan que estava na cervejaria também.

A oferta é a seguinte: Resgatar uma mercadoria roubada por um bando de kobolds. Existe uma suspeita do local do covil, seria uma antiga mansão, que hoje está em ruínas e seria um abrigo perfeito para um bando de kobolds. O local é conhecido como Salão dos Kobolds. Seria uma incursão para recuperar essa valiosa mercadoria. A negociação começa e depois de algumas canecas de cerveja fica acertado em 150 PO pra cada caso a mercadoria seja recuperada e a incursão será de 2 dias no máximo. Se demorar mais do que isso os custos terão que ser revistos. Apertos de mão e brindes consolidam o negócio e o mestre armeiro revela qual é a mercadoria, escamas de dragão verde.

Na primeira luz os dois aventureiros partem para a estrada em direção ao Salão dos Kobolds. Duval os leva pela estrada em montarias da guilda e fala que vai espera-los na estrada até o escurecer.

O druida logo consegue achar o rastro do ataque da caravana e conta um grupo de pelo menos 5 kobolds devem ter atacado os mercadores. Seguindo a trilha eles logo encontram a ruína da mansão. Uma mureta destruída contorna toda a propriedade mais um rastro de uso é claramente visível na vegetação. Esse rastro leva a entrada de uma cripta a frente da mansão e parece bem utilizado.

Observando ao longe o druida tem uma brilhante ideia. Olha para o anão e apenas fala:

“Bode expiatório!”

Em uma transformação grotesca ele torna-se um bode e caminha em direção a entrada da cripta. Contorna a casa em forma de cabrito e tempera o ambiente com sonoros berros repetitivos:

BEEEEEEE BEEEEEEE

Finalmente a porta da cripta se abre e um kobold avista o nosso druida ainda na sua forma caprina. Pensando em uma boa costela de bode o kobold se lançam em perseguição. Rápido como um bode quando foge Ikki corre do kobold mas em direção ao escondido Tok-tok. Um banque seco é tudo que se segue o kobold desfalece com o peso do martelo do anão. Um sorriso o bode repete a estratégia, mas agora vai direto na porta da cripta e batendo com a pata na porta berra alto:

“BE BEEEEE BEE BEEEE BE BE” Que significa em bodês
“EI GALVÃO VAI TOMAR NO CU” – (Tradução livre)

Mas dois kobolds saem da porta e com a mesma estratégia um deles morre mais o outro consegue fugir e volta pra cripta. Após breve discussão os heróis entram na cripta e descem uma escadaria. Um breve encontro se seguem em um salão de pedra e logo vasculham a primeira sala. Nenhum sinal de mercadoria roubada.

Mais um corredor aparece e uma escada descendo e eles dão de cara com um salão de templo e mais dois kobolds adoram um altar. Um embate rápido se segue, mas com uma complicação a mais devido a armadilhas de setas montadas em armaduras nas paredes. Com o templo devidamente limpo os herois seguem.

Mais uma escada e agora barulho alto e animação no próximo salão. Kobolds a partir de uma plataforma elevada, arremessam uma pedra imensa presa ao teto para derrubar pilhas de ossos em cima de caixões. Usando o Anão como escudo o druida derruba os kobolds um a um com seus relâmpagos certeiros. Avançando para a porta que da acesso as plataformas elevadas, o anão corre atrás de um kobold assustado que em uma ato de desespero se lança da plataforma para atacar o druida. Erra miseravelmente e nem percebe que logo atrás dele vinha o anão voando em sua torrente de metal e esmaga sua cabeça com seu martelo que também passa a centímetros da cabeça do druida.

Mais um salão limpo, mas nenhum sinal da mercadoria roubada.

Será que nossos heróis vão continuar superando as dificuldades uma após a outra?

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.